Produto para escova marroquina é vetado pela Anvisa e deve sair do mercado

Produto para escova marroquina é vetado pela Anvisa e deve sair do mercado
janeiro 06 15:44 2018 Print This Article

Atenção se você é adepta de tratamentos químicos que promovem o alisamento dos fios. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou que vetou a fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso de um produto indicado para o procedimento conhecido como escova marroquina.

Produto para escova marroquina vetado

A proibição do Marroquina Sistema Bio Restore foi determinada, porque o cosmético não possuía registro junto ao órgão brasileiro e ainda atribuía sua fabricação e distribuição a duas empresas que não são devidamente responsáveis por nada da marca.

A decisão foi publicada na Resolução RE 3276/2017, no Diário Oficial da União, e determina que os responsáveis sejam obrigados a retirar todo o estoque do produto existente no mercado. A ordem começou a valer desde o dia 26 de dezembro de 2017 para todo o território nacional.

De acordo com o texto, o cosmético prometia o mesmo resultado das escovas progressivas. A diferença, porém, é que o método marroquino utiliza fórmulas com baixa concentração de formol na composição.

Como é a escova marroquina?

Em geral, o procedimento costuma ser indicado para quem tem cabelos cacheados e ondulados, pois elimina o volume e o frizz dos fios e ainda deixa os cachos mais soltos, macios, definidos e brilhantes.

Outra vantagem do tratamento é que as pessoas podem lavar o cabelo logo após a aplicação do produto. Nas primeiras fórmulas das escovas progressivas, por exemplo, era necessário deixar os cabelos sem contato com água por até três dias.

Com duração de cerca de dois a três meses, a escova marroquina pode ser realizada em todos os tipos de cabelos e é, inclusive, compatível com outras químicas, como relaxamento, coloração e até mesmo a progressiva. Mas lembre-se: sempre procure um profissional de confiança antes de submeter suas madeixas a qualquer tratamento!

Comentários

  Categories:
view more articles

About Article Author

Ana Moreira
Ana Moreira

View More Articles