Mulher morre em acidente em Marabá

Mulher morre em acidente em Marabá
janeiro 12 11:30 2017 Print This Article

Um acidente de trânsito na Rodovia BR-222, à altura do semáforo do Bairro Quilômetro Sete, em Marabá, tirou a vida de Raimunda da Conceição Alves, de 28 anos, moradora de Tucuruí, na manhã desta quarta-feira (11). Ela estava na garupa da motocicleta Honda CG 150, de placa OTU-7887, conduzido pelo companheiro Leandro da Silva Moreira, de 30 anos, quando houve a colisão com o caminhão de placa DBC – 3573, conduzido por Rodolfo Barbosa de Santana, de 52 anos.

Os dois veículos seguiam na mesma direção, por volta das 11h30, quando se tocaram na lateral esquerda traseira do veículo maior. Na colisão, Raimunda acabou caindo embaixo dos pneus do caminhão, que passou sobre a cabeça dela. A pressão estourou o capacete que ela utilizava e causou traumatismo no crânio. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas a mulher já estava em óbito quando o resgate chegou, menos de 15 minutos depois.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) atendeu à ocorrência e, segundo o agente Estelles, quando a equipe chegou ao local foi informada que o motorista do caminhão desceu para prestar socorro, mas ao perceber que a vítima já estava em óbito se retirou para salvaguardar a própria integridade e se apresentou na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil. “De acordo com o relato que temos é apenas que os dois seguiam na mesma mão quando colidiram, provavelmente uma colisão traseira. O companheiro dela está abalado e disse apenas que seguia o fluxo, sentiu o impacto e aconteceu o acidente”, comentou. O casal vinha de Tucuruí e estava chegando em Marabá para resolver assuntos pessoais.

O caso foi registrado durante o plantão do delegado Vinícius Cardoso das Neves que tem até 30 dias para concluir o inquérito policial que irá apurar as causas do acidente. “Sabemos até o momento que os dois veículos se tocaram, a garupa caiu embaixo do pneu do caminhão e veio a óbito. O condutor do caminhão foi submetido ao teste do bafômetro que não constatou a ingestão de bebida alcoólica e foi constatado que ele é habilitado para conduzir aquele veículo. O piloto da motocicleta também estava apto a conduzir o veículo e não havia bebido”, explicou.

Ainda de acordo com ele, apenas a emissão dos laudos por parte do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) poderão apontar o que de fato ocorreu. “Neste cenário, de pronto, não temos como saber quem foi o responsável pelo acidente, então foi feita a perícia e ela deverá apontar se houve frenagem abrupta, se havia excesso de velocidade, dentre outros pontos”. No depoimento prestado à Polícia Civil, o motorista do caminhão alegou que estava conduzindo normalmente quando ouviu um barulho na lateral direita, viu a motocicleta pelo retrovisor e freou. Ao descer do veículo ela vítima estava embaixo das rodas.

Já o companheiro da vítima afirmou que reduziu para passar no semáforo quando sentiu ser tocado, afirmando que a carreta não reduziu. “Essa é a argumentação dele e vamos ter que ver a partir de agora quem foi o responsável”. Apesar da grande aglomeração de pessoas no local do acidente – que precisaram ser afastadas várias vezes pela equipe da PRF que isolava o acidente -, ninguém soube informar ao certo como aconteceu a colisão. O corpo da vítima removido pelo CPC Renato Chaves para ser necropsiado no Instituto Médico Legal (IML) de Marabá. O companheiro dela, procurado pelo CORREIO, estava bastante abalado e não conseguiu gravar entrevista.

Fonte: CTonline

Comentários

  Categories:
view more articles

About Article Author

Ana Moreira
Ana Moreira

View More Articles