Mãe de três crianças é brutalmente assassinada

Mãe de três crianças é brutalmente assassinada
dezembro 03 14:29 2016 Print This Article

destaque-387428-pag-4-wagner-almeidaO corpo da vítima foi encontrado em meio à escuridão de um campo de futebol. Policiais militares tiveram dificuldades e contaram com a ajuda de um garoto, morador das redondezas, que ajudou a localizá-lo. Ao lado de uma pequena árvore, Luziane Monique da Silva Santos, de 21 anos, desempregada, foi assassinada com 7 tiros e não teve qualquer chance de defesa. Segundo o pai dela, várias pessoas teriam motivos para matá-la.

A beira do campo Bom Sossego, que fica localizado na rua Santo Antônio, bairro Cerâmica, em Marituba, às proximidades do Rio Maguari, foi o local escolhido para o crime, na noite da última quinta-feira, por volta das 19h. O corpo de Luziane foi encontrado caído de peito pra cima e com o rosto completamente desfigurado. Todos os disparos foram na face dela, fato que quase atrapalhou em sua identificação.

José Miguel da Silva, pai da vítima, foi ao local e conseguiu, mesmo diante da atrocidade, reconhecer o corpo da filha. Em conversa com a reportagem, ele contou que Luziane tinha muitos inimigos, por isso, desconhece quem pode ter tirado sua vida. “Ela era envolvida em assaltos. Já foi até presa, mas ficou somente 2 dias encarcerada e foi liberada. Na rua em que ela morava, muitas pessoas não gostavam dela. Acredito que muita gente tinha motivos para fazer isso”, disse José.

Segundo ele, a vítima também era usuária de drogas e deixou 3 filhos. “Ela também bebia e usava drogas. Abandonou os estudos aos 14 anos e começou a se envolver com a bandidagem. Depois que ela foi presa, no ano passado, a mandei para Macapá (AP), mas ela ‘aprontou’ por lá e voltou. Agora ficaram 3 filhos pequenos, um de 2, um de 3 e outro de 4 anos”, lamentou.

O delegado Alexandre Calvino, plantonista da Seccional Urbana de Marituba, foi ao local do homicídio e tentou colher detalhes do caso, mas pouco foi dito sobre o crime. “As informações aqui são poucas e difíceis de conseguir. A área é bastante isolada e os moradores não saem nem das suas casas”. Conforme o policial civil, o crime pode ter sido cometido no início da noite de quinta-feira. “Pelo o que soubemos, ela foi morta por volta das 19h, mas a polícia só foi acionada cerca de 4 horas depois. Este campo já foi local de vários homicídios e é bastante usado durante a noite por usuários de drogas”, concluiu o delegado.

Sem informações

Nenhuma informação de quem pode ter cometido o crime foi descoberta pela polícia. O cabo da Polícia Militar (PM) Valdemir Satã, da 3ª Companhia (Cia) do 21º Batalhão de Polícia Militar (BPM), disse que contou com o auxílio de um garoto, para encontrar o corpo. “O Centro Integrado de Operações (Ciop) nos repassou que moradores escutaram tiros nesta área e que havia um corpo aqui. Tivemos dificuldades porque é bastante escuro. Viemos procurar e um garoto nos informou que estava no campo. Fizemos o isolamento e tentamos buscar informações, mas ninguém sabia falar nada do caso”, falou o policial militar.

Sete tiros desfiguraram a vítima

Jorge Lopes, perito criminal do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, informou que conseguiu localizar 7 lesões de tiro na vítima. “Seis tiros foram concentrados quase no mesmo local, perto dos olhos. Um deles foi no queixo. Encontramos um projétil, mas não temos como informar qual o tipo de arma. Somente após o exame de balística”, explicou. O rosto de Luziane Monique da Silva Santos ficou desfiguradoO corpo dela foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), para a necropsia. Policiais da Divisão de Homicídios (DH) estiveram no local e colheram depoimentos sobre o caso, que deverá ser investigado por policiais civis da Seccional Urbana de Marituba.

(Fabrício Nunes/Diário do Pará)

Comentários

  Categories:
view more articles

About Article Author

Ana Moreira
Ana Moreira

View More Articles